Meu pet pode ter coronavírus?

Meu pet pode ter coronavírus?

A Organização Mundial de Saúde emitiu o primeiro alerta de coronavírus em 31 de dezembro, depois que autoridades chinesas notificaram casos de uma misteriosa pneumonia na cidade de Wuhan, metrópole chinesa, com 11 milhões de habitantes.  Dia 11 de março a OMS declarou uma pandemia (disseminação em nível mundial) do novo coronavírus, mobilizando todos os países para que a doença seja controlada.

Depois de informações de que um cachorro testou positivo para o novo coranavírus em Hong Kong, deixou muitos donos de pets preocupados. De acordo com a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), o teste mostrou a presença de material genético do coronavírus, mas o animal não apresentava sinais clínicos da doença.

Sendo assim, não há evidências de que animais de estimação, possam ser infectados pelo novo coronavírus ou transmitir a covid-19. Porém, continuam sendo realizados estudos para entender como o organismo de diferentes animais podem reagir ao coronavírus.

A recomendação das autoridades de saúde é que pessoas infectadas limitem o contato até mesmo com seus cães e gatos, já que há informações ainda desconhecidas sobre o coronavírus. Além disso, os cuidados básicos de higiene devem ser seguidos, como lavar as mãos antes e depois de tocar nos animais, alimentos, nas fezes ou urina. Os passeios em locais com aglomeração também devem ser evitados.

E como eu protejo meu pet do coronavírus de sua espécie?

Em cães, o coronavírus normalmente causa quadros gastroentéricos leves e não respiratórios como o covid e pode ser prevenido por meio da vacinação anual. Já em gatos, não existem vacinas para prevenir, no entanto, mantê-los sem contato com animais desconhecidos e adquirir pets em abrigos e criadouros negativos para PIF é fundamental para evitar o problema.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *