Tártaro em cães e gatos, como prevenir e tratar

Você foi fazer um carinho no seu amigão e sentiu um hálito desagradável nele? Então pode ser que ele tenha tártaro acumulado nos dentinhos…

Assim com em seres humanos, os cães também se alimentam, mas a diferença é que nós escovamos os dentes para retirar todo o acúmulo que ficou nos dentes e gengivas, já os cães, não conseguem fazer isso sozinho. Esse acúmulo nas gengivas e dentes, em alguns casos podem gerar infecções médias e graves e o aparecimento de algumas doenças.

Quando nosso amigão já está com tártaros nos dentes de uma forma mais avançada, não é possível remover na escovação ou com produtos secundários, é necessário realizar a remoção com um veterinário.

As consequências do tártaro são preocupantes e podem ser dolorosas para o cão.

A gengivite pode ocorrer em alguns casos, a gengiva fica avermelhada e inflamada, aos poucos ela vai se retraindo e deixando a raiz dos dentes exposta, ocasionando nos piores casos a perda dos dentes.

A doença periodontal pode aparecer em alguns casos. Ela avança na gengiva, mandíbula, maxilar e as raízes dos dentes. Essa infecção pode ocasionar abscessos e pode avançar na boca total do cão, além de nariz e os olhos. Portanto, a forma para se resolver a doença é a limpeza dentária profunda no veterinário e o uso de antibióticos. 

As infecções em cães podem ser mais sérias do que imaginamos, ocasionando problemas mais graves, como doenças cardíacas e renais.

A prevenção sempre será a melhor escolha. Além disso, a escovação semanal do cão com pasta específica para ele é indispensável, para não ter dores de cabeça, se você tem um filhote, comece já o hábito de escovar seus dentinhos, para quando estiver maior, já esteja acostumado.

Já existem alguns brinquedos e biscoitos que ajudam na limpeza bucal dos nossos amiguinhos, mas nada substitui a escovação. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *